Pensamentos

O amor da sua vida…

o-amor-da-sua-vida-foto-01

Será que é fácil reconhecer o amor das nossas vidas?

O amor da sua vida, fará você se sentir como nunca se sentiu antes. Não sei se terá borboletas no estômago, se você ouvirá o som de violinos e anjos cantando, se você sentirá seus pés saírem do chão ou se suas pernas vão bambear. O amor da sua vida terá o melhor abraço, o melhor beijo e o melhor cheiro. O abraço dele será o abraço ideal e na medida certa.

Não vai importar se é alto ou baixo, não vai importar nada. Ele será certo para você do jeito que for. O amor da sua vida não será igual a você, e muito provavelmente, vocês terão alguns conflitos de vez em quando. Até porque vocês são pessoas totalmente diferentes, com criações diferentes.

 

Não vai importar se você gosta de branco e ele preto, se você gosta da calmaria e ele de esportes radicais, se você gosta de altura e ele morre de medo, se você curte romance e terror, e ele curte comédia e ação. Se você é leitora compulsiva e ele não suporta ler nem bula de remédio.

Creio eu que não vai importar muita coisa quando se reconhece o amor das nossas vidas. Porque vocês verão que juntos, nada mais importa, vocês verão que juntos, tudo fará sentido e tudo será cómodo e agradável. O amor da sua vida também pode não ser para sempre.

Você talvez até tenha vários amores da sua vida, quem sabe?! Cada um de um jeito diferente e único que só você saberá amar, e cada um será de um jeito. Apenas não deixe de amar cada amor da sua vida como se nunca fosse acabar, sem medo e sem desculpas, sem amar pela metade.

As entregas são necessárias as vezes. Tenho medo dessas pessoas que já começam um relacionamento pensando em terminar, que não pensam que será eterno, que já se conforma com um possível e previsível fim. Eu aprendi a não me conformar com coisas pela metade, a viver tudo que a vida tem a me oferecer, a abraçar as oportunidades.

Um texto que gosto muito do Chico Xavier é esse aqui:

“A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos. A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro. A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos… TUDO BEM! O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum… É amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos. Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.”

 

Talyta Sousa

[in: osegredo.com.br]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *