Pensamentos

As pessoas “barulhentas” por fora são inseguras e têm baixa autoestima por dentro…

Você provavelmente conhece aquela pessoa extrovertida e carismática. Ela está sempre animada e parece ser o epítome da confiança. No entanto, ela leva uma hora para se preparar para ir à padaria.

Se ela fosse verdadeiramente tão segura, por que precisaria se arrumar tanto para fazer uma tarefa tão humilde?

A realidade é que as pessoas que são fortes e extrovertidas podem muitas vezes ter baixa autoestima. Muitas vezes, elas usam suas personalidades para mascarar como realmente se sentem por dentro.

Pessoas com baixa autoestima tentam ser comunicativas para camuflarem suas inseguranças

Este comportamento é motivado pela necessidade de validação.

Muitas vezes é mais fácil tentar silenciar a baixa autoestima, contradizendo-a para provar o contrário.

Pessoas com essas personalidades tendem a ter uma necessidade mais forte de elogios ou de serem tranquilizadas sobre traços positivos. Sem este tipo de validação, elas podem se sentir para baixo e ansiosas.

Essas pessoas são afetadas pela culpa

Pouco relacionamento com os pais – Não ter o apoio, o carinho ou a atenção certa ao crescer pode contribuir significativamente para o desenvolvimento de um jovem.

Pressão daqueles ao seu redor – Da mesma forma, estar em um ambiente onde colegas te tratam de uma forma que diminui sua confiança, pode contribuir para inseguranças.

Aparência insatisfatória – De acordo com a Universidade de Washington, 53% das mulheres não estavam satisfeitas com o seus corpos, e este número sobe para 78% até os 17 anos. As pressões dos meios de comunicação na nossa vida cotidiana fazem as pessoas criarem expectativas irrealistas sobre suas aparências.

Trauma no passado – Aqueles que sofreram abuso físico, emocional, mental, são propensos a experimentar depressão, ansiedade, inseguranças e baixa autoestima. A consequência do abuso pode fazer essas pessoas sentirem-se indignas, envergonhadas ou culpadas.

Elevada expectativa de outros – Pressão para bons desempenhos academicamente, atleticamente e socialmente pode ter um efeito enorme sobre as pessoas, especialmente se essas áreas são particularmente desafiadoras para elas.

Pensamento negativo – Este é um padrão de formação de hábitos em que uma pessoa fica tão acostumada a sentir-se abatida ou negativa que se torna difícil sair desse padrão de pensamento depois de ter sido programado no cérebro.

Para ajudar alguém que tenha baixa autoestima, comece reforçando sua segurança. Dar apoio para a pessoa construir sua própria segurança é essencial para ajudá-la.

1. Evite envolver-se em conversas negativas com ela

Se a conversa for nessa direção, você tem a capacidade de mudar de rumo.

2. Não seja tímido para dizer que você se importa com ela

Baixa autoestima muitas vezes resulta de uma falta de amor por si mesmo. Deixe-a pessoa saber que você se importa com ela e diga-lhe seus traços positivos, não puramente baseados na estética.

3. Construa relacionamentos com atividades positivas

Convide-a para atividades que você faz que possam impulsionar sua estima, como aula de ioga, academia, ou comprar roupas novas.

4.Assista a uma comédia com ela e riam juntos

Todos sabemos que o riso é o melhor remédio. Portanto, certifique-se de desfrutar o lado mais leve da vida também.

Se alguém está se sentindo para baixo sobre si mesmo, ajudá-lo a encontrar o seu sorriso vai certamente dar-lhe um impulso.

5. Não seja condescendente

Não diga a pessoas para apenas “superar”, isso é inútil e pode deixar a pessoa se sentindo mais isolada e despreocupada.

Não diga isso a alguém – independente de qual seja a sua luta. Lembre-se: a maioria das pessoas não pode controlar como se sente. Da mesma forma que você pode não ser capaz de evitar sua fome ou sono.

6. Cuide-se e ame-se também

É fácil entrar em situações em que você se torna preso na negatividade de outra pessoa e sua própria energia se esgota. Por mais que você tente ajudar alguém, só vai funcionar se a pessoa também estiver disposta a ajudar a si mesma. Ame-a, mas também lembre-se de amar a si mesmo.

 

 Fonte: Life Hac Luiza Fletcher

[in: Osegredo.com.br]

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *