Saúde

Como prevenir e tratar as dores nos ombros

Dor-nos-ombros-500x360-300x154

Aquilo que conhecemos como “ombro” nada mais é do que um conjunto de articulações, tendões e músculos que permitem que o braço se mova a diferentes direcções. Essa mobilidade, sem dúvidas, não tem preço. Quando há compressão dos tecidos ou das estruturas ósseas surgem os incómodos. Nesse artigo explicaremos como prevenir e tratar as dores nos ombros.

Dor nos ombros: o que saber a respeito?
Essa mobilidade tão importante que os ombros nos oferecem pode se alterar, por exemplo, quando carregamos muito peso, fazemos movimentos bruscos ou repetitivos, etc. A dor pode aparecer por algo em particular e sumir, ou continuar e se repetir a cada noite.

É bom saber que o ombro é composto por três ossos: o úmero, a omoplata e a clavícula. Na cavidade glenóide, que é arredondada, os ossos, tendões e músculos estão unidos. Os tecidos da área são denominados manguito rotador e sua função é cobrir a cabeça do osso do úmero ao mesmo tempo em que une a omoplata com o ombro. Os problemas, incômodos e doenças dessa articulação podem ser divididos em:

Bursite

  • É uma inflamação de uma bolsa que é cheia de um líquido lubrificante e que ajuda a movimentar o ombro. É uma espécie de almofada entre os ossos e tecidos moles, que serve para reduzir a fricção quando movimentamos os braços.
  • O uso excessivo dos ombros inflama essa bolsa, localizada entre o manguito rotador e parte da omoplata. A bursite é caracterizada pela incapacidade de realizar atividades quotidianas como pentear o cabelo ou se vestir.

Tendinite

  • Está associada à bursite porque também é uma inflamação, mas nesse caso de um tendão, uma espécie de cordão que conecta o músculo ao osso. Com o passar dos anos a tendinite pode ocorrer em vários tendões ou, no caso dos ombros, em quatro que se localizam no manguito rotador e no bíceps.
  • A inflamação dos tendões pode ser aguda (por movimentos repetitivos dos braços por cima da cabeça) ou crônica (devido a certas doenças degenerativas, tais como a artrite), bem como o desgaste repetitivo.

Ruptura

  • Também ocorre nos tendões devido a movimentos muito repetitivos e bruscos, lesões repentinas ou envelhecimento. As rupturas podem ser parciais ou completas. As lesões no tendão ou no bíceps e no manguito rotador são as mais frequentes.

Compressão

  • Ocorre quando o acrômio pressiona os tecidos moles ao levantar os braços, afastando-os do corpo. Ao realizar esse movimento a parte superior da omoplata vai comprimindo os tendões da bolsa e do manguito rotador, podendo causar tendinite ou bursite, muita dor e limitação no movimento.

Instabilidade

  • Isso acontece quando a cabeça do osso do braço sai da cavidade do ombro de forma forçada, como pode ser no caso de um golpe, uma queda ou uma lesão. Também se conhece como deslocamento e pode ser parcial (subluxação) ou completa (luxação). Uma vez que o osso volta ao seu lugar correto, pode gerar incômodos ao fazermos um movimento específico.

Osteoartrite

  • Se um ou dois de seus ombros doem, a osteoartrite também pode ser um causa. Um dos tipos mais comuns se deve ao uso e o desgaste. Os sintomas são inflamação, rigidez e dor, e começam a atingir pessoas de idade media.
  • Vai se desenvolvendo lentamente e aos poucos, limitando os movimentos. Também, pode estar relacionada com lesões surgidas ao praticar esportes ou realizar certos trabalhos, além de se relacionar com a ruptura do manguito rotador.

Fratura

  • É quando os ossos se quebram. Nesse caso podem ser os da clavícula (pescoço), o úmero (braço) ou a omoplata (escápula). Quando o paciente é adulto pode ser devido a uma queda, e quando é mais jovem, pode ser causado por uma lesão de alto impacto, como uma batida de carro ou um esporte de contato, por exemplo. Provoca uma dor aguda, contusões e inflamação. É necessário aplicar um gesso e, em alguns casos, fazer cirurgia.

Como acabar com as dores nos ombros?
O exercício é a melhor maneira de tratar, prevenir e melhorar os quadros de dores nos ombros:

Movimento de levantamento dianteiro

  • Utilize uma faixa de resistência que ajude você a reforçar sua flexibilidade.
  • Segure na extremidade de um móvel ou de uma porta para que fique à altura da cintura, estique ao máximo o corpo, mantendo o braço rígido até ficar quase paralelo ao chão.
  • Não levante o braço mais do que à altura da orelha.

Levantamento de ombr

  • É um exercício similar ao anterior, também requer de uma faixa
  • Pegue um dos extremos com uma mão e coloque-o sobre o abdômen e depois pegue o outro extremo com a mão livre.
  • Abra o braço e verifique que esteja paralelo ao chão, mantenha a posição por alguns instantes e volte para a posição inicial.

Levantamento para trás

  • Prenda a faixa em uma das pernas de uma mesa.
  • Coloque-se de frente para a mesa e pegue o outro extremo da faixa com uma mão, estique o braço pra trás sem ultrapassar a linha do ombro (ou até onde você conseguir).

Rotação de corpo cruzado

  • Com a faixa ainda presa na mesa, coloque-se de lado e pegue-a com a mão que estiver mais afastada.
  • Dobre o pescoço e coloque-o bem próximo ao corpo.
  • A única coisa que você deve mover são os pulsos, para fora.
  • Ainda que o ombro não se mova você estará fortalecendo todo o braço.

Levantamento de peso

  • Não é preciso ir a uma academia e pegar o maior peso.
  • Você pode praticar com um pacote de arroz ou encher uma garrafa com meio litro de água ou com areia.
  • Levante o braço por cima da cabeça, estique-o ao máximo e abaixe, flexionando o pescoço.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *